Olha quem fala...

Minha foto
Salvador, Bahia, Brazil
Brasileiro. 20 anos. Nascido e criado em Salvador, Bahia. Filho de Paulo e Valdete. Tem cabelos pretos que, quando compridos, formam cachos. Pele morena. Tem por volta de 80 kg. Não tem certeza quanto à estatura, mas acha que está entre 1,68 e 1,70. Cursa Engenharia Elétrica no IFBA. Fala demais e dessa forma costuma esconder o que realmente quer dizer. Escreve por diversão, ou para extravasar. Tem medo de ser considerado arrogante ou convencido. É pessimista, mas está tentando mudar isso. Não usa nenhum tipo de droga, não bebe nem fuma. É vegetariano. Gosta de temas policiais, suspense e romance. Ele é besta.

domingo, 11 de abril de 2010

Pontos de Vista

A realidade é algo subjetivo. O que é real pra mim? O que é real para você? Não sei, posso jamais entender o ponto de vista de outra pessoa, mas o que impele a prosseguir é essa diferença de pontos de vista.
Dizem que contra fatos não há argumentos. Mas há. Se existe um fato, ele pode ser questionado. Não existe fato que não possa ser questionado de alguma forma. E então voltamos àquela fraser clássica: Tudo depende do referencial adotado. Se pudessemos trocar de ponto de vista por um segundo, talvez pudessemos ver um mundo completamente diferente.
E se nesse momento eu estivesse no lugar do leitor? O que eu pensaria sobre o autor dessas linhas? Se um autor pensa dessa forma, como ele saberá o que sente o leitor enquanto lê este texto? Talvez eu enxergasse as mesmas linhas de formas completamente diferentes. Não vivi as mesmas experiências, não respirei o mesmo ar que o seu, leitor. O que me dá o direito de imaginar que saberia o que você sente?
Ontem, enquanto ia encontrar Tedão pra ensaiar, tocava uma música no rádio, que falava sobre "olhar o mundo junto com você", algo do tipo, Paulinho Moska. Começei a imaginar como cada uma das pessoas queridas enxergavam o mundo naquele momento. Eu estava naquele ônibus filosofando, balançando de um lado pra o outro, abraçado com o baixo, imaginando o mundo. Era um dia chuvoso e eu pensava nisso olhando as obras na cidade. Você talvez estivesse em uma sala, tavez em frente ao computador, sei lá, muitas pessoas podem ler isso e estar em momentos diferentes, mas acho que é isso que chamam de realidade: As múltiplas variáveis de um mesmo fato. As muitas pessoas, os muitos fatos. Muitos quilômetros, poucos centímetros, mas todos vivendo. Todos vivendo suas vidas, fazendo eu parte delas ou não. O mundo é grande, maior ainda quando você pensa quantos pontos de vista o mundo pode ter.
Será que um dia saberei o que pensa você, leitor? Não, creio que não quero isso. Já me basta entender, sem questionar.
Como disse Lopes em sábias palavras: Pra que a maconha? Dá pra ficar doidão sem nada.

2 idéias:

Ana Paula disse...

Uauuu! C arrasou nesse texto...=)
Filosofou mesmo.
É estranho e ao mesmo tempo legal pensar que cada um na verdade vê o mundo de forma diferente né?
Cada um lê um texto e tem uma própria interpretação que ás vezes não tem nada a ver com que o autor quis passar. hehe
Gostei. =)

Agatha disse...

É isso ai tudo depende muito dos pontos de vista críticos relacionados aos fatos que os unem. Ai é que está a graça. Se não seriamos todos iguais e não precisaríamos uns dos outros.